FECHAR
 
Rádio Web Providência    POPUP
 
Irmãs Dominicanas

Irmãs DominicanasA Congregação das irmãs Dominicanas de Santa Maria Madalena, nasceu em Espira, Alemanha, em 1228, e, em 1304, passou a pertencer a 2ª Ordem de São Domingos. Somente no ano de 1887, o papa Leão XIII permitiu a passagem para a 3ª Ordem de São Domingos.

No dia 19/12/1937, chegaram a Cruzeiro do Sul as primeiras irmãs: Irmã M. Adelgundis Becker, M. Athanasia Weber, Disiboda Strasser, abrindo no dia 3 de outubro de 1938, o “Instituto Santa Teresinha”, chamado de “Convento da Santa Cruz”.

Depois foi a abertura das casas em Porto Valter (1956), em Wenceslau Brás-Paraná (1967), Mâncio Lima (1976), Jutaí AM (1998).

Carisma

O Carisma é contemplar e transmitir o contemplado.

Fundador: São Domingos

São Domingos Gusmão, contemporâneo de Francisco de Assis, nasceu em Castela Velha, e morreu em 6 de agosto de 1221.

Os pontos mais exaltados da sua Ordem são como premissa indispensável ao dever apologético dos frades pregadores. Distinguia-se por sua retidão, zelo, pontualidade das funções e espírito de sacrifício.

Educação e Juventude

Sua única riqueza eram os livros, e mesmo assim vendeu todos um dia para comprar comida e distribuir aos pobres. A grande mudança em sua vida se deu quando foi ter contato com um grupo de hereges, que eram numerosos em Languedoc.

Fundação

Lá, os missionários cistercienses foram recebidos com desprezo: Eis, a cavalo, os ministros de um Deus que anda a pé. Foi então que surgiu a ideia de fundar uma ordem de frades pobres e estudiosos, para que pudessem pregar a doutrina cristã não só com as palavras como também com o exemplo de sua vida, sem as suspeitas de interesses materiais.

Últimos anos e legado

Estava sempre disposto a falar de Deus a qualquer um que encontrasse. São Domingos foi, sem dúvida, um dos grandes inovadores da vida religiosa no século XIII, procurando uma nova forma de estar presente no mundo em transformação e responder aos desafios de sua época.

Retrospecto histórico: Convento Santa Maria Madalena Speyer.

Introdução:

A comunidade das Irmãs Dominicanas de Sta. Madalena nunca foi famosa ou grande.Nós não temos vistosas obras culturais ou apostolados consideráveis,que chamassem a atenção de fora. Mesmo ainda hoje,somos uma comunidade pequena.Mas isso não importa para Deus. Ele conduz nossa comunidade por quase 800 anos e a conservou, simplesmente porque Ele assim o quis. Sobre esta historia de Deus com a nossa comunidade, quero hoje um pouco falar, olhar um pouco atrás dos bastidores e colocar as perguntas:

– Que vida levaram as Irmãs de Sta. Madalena? Onde tem as suas raízes espirituais,que as fizeram sobreviver desde 1228 e crescer, de modo a se estenderem até América do Sul?

Histórico do claustro

Os Primórdios.
Os primórdios de nosso claustro estão no escuro.Sabemos,tão somente,que pelo ano de 1227, numa pequena aldeia, São Leon, no outro lado do rio Reno, em frente de Speyer, foi fundada uma comunidade de Irmãs penitentes. Estas irmãs mudaram-se em 1228 para Speyer, onde dentro das muralhas que circundam a cidade, procuraram proteção de hordas de soldados e cruzados, que continuamente cruzaram o país. As irmãs eram paupérrimas. Mas um casal rico de Speyer, Walther e Edelinde Barth, doou-lhes um terreno na cidade antiga de Seyer, o atual recinto do claustro e uma casa para morar. Viviam ainda muito pobres, mas em segurança e paz. Naquele tempo não eram dominicanas, mas Penitentes ou madalenas.

-Quem são as Penitentes e qual é a características de sua vida como mulheres consagradas?

2.A vida das Irmãs como Penitentes.

A ordem das penitentes foi fundada em 1227 por um sacerdote Rudof de Hildesheim, respondendo às necessidades do tempo. Rudof encontrou em Worms muitas mulheres jovens desmoralizadas. Eram geralmente mulheres novas, seduzidas ou violentadas por soldados, por comerciantes ou estudantes vadios e depois abandonadas. Assim desmoralizadas e desenraizadas não houve mais futuro na sociedade de então, para essas mulheres jovens, que não eram necessariamente pessoas más. Às que uma vez caíram, foi negado o reconhecimento e a dignidade. Nunca mais podiam se casar e também não entrar em algum convento. Só podiam continuar na sua desgraçada situação e mais afundar na mesma.

Rudof de Hildesheim foi profundamente tocado pela miséria dessas mulheres e decidiu cuidar delas espiritualmente. Ele enveredou num caminho revolucionário para aquele tempo: Em vez de trancar essas jovens decaídas, num estabelecimento de reeducação, reuniu-as numa comunidade religiosa. Lá podiam, livres de toda pressão social, sob a direção espiritual de um sacerdote, empenhar-se no caminho interior de conversão e de cura.

Uma tal comunidade eram as primeiras irmãs, as penitentes de Santa Madalena em Speyer. Viviam segundo o ideal da ordem das Penitentes. Isso significa, como para todos os claustros da Idade Média, clausura rigorosa, sem ocupação para fora, uma vida concentrada na penitência e santificação de si mesmo. Padroeira e modelo das penitentes era Maria Madalena.

Modelo

Maria Madalena pecou muito e profundamente também cresceu o seu amor ( Lc 7,47). Ela era uma grande pecadora penitente, mas uma penitente por amor.Jesus não se deixou afastar do horroroso invólucro de seu pecado e impureza. Seu olhar amoroso penetrava a sua alma ferida,suscitando o amor intrínseco e verdadeiro, a doação ao amor puro,que só Deus recebe.Para as irmãs na Idade Média,a penitência de Maria Madalena não assustava, mas foi uma expressão natural de um grande amor purificado por Deus mesmo e conduzido à maturidade.

Esse amor, brotando da misericórdia de Deus,foi aquele que as irmãs procuraram viver,dia por dia.Ela ficou como fundamento da nossa vida consagrada até hoje. Pois no presente, como no futuro, dependeremos da misericórdia de Deus, cada uma de nós em particular,como toda comunidade. Sempre Jesus há de expulsar de nós os sete demônios no sacramento da penitência. Mas quanto mais demônios ele expulsa, tanto mais será o amor, que nos presenteia.

Passagem para a Ordem Dominicana.

A Ordem das penitentes não perdurou por muito tempo. Por diversas causas os claustros das Penitentes associaram-se, pouco ao pouco às grandes ordens, das Cistercienses, Franciscanas e Dominicanas. E assim nossas irmãs em 1304 entraram na ordem Dominicana.

Em 1262 vieram os primeiros frades Dominicanos para Speyer e as Irmãs de Sta. Madalena entraram em contato com eles e foram, em breve, fascinadas do ideal inflamante e apostólico dessa Ordem Jovem.

Reconheceram que seu próprio ideal, concentrado na penitência e santificação, podia obter uma expansão religiosa, totalmente nova: Tudo o que fizeram até então, podia alcançar um peso diferente. Sua oração e sua penitência podiam, para além da santificação individual, tornar-se serviço apostólico na Igreja, fiel ao grande ideal da Ordem de São Domingos, salvar almas.

Descobriram que cada um, seja homem ou mulher, tem de seu modo, responsabilidade na Igreja e que especialmente nisso, a sua padroeira Maria Madalena, até então, podia continuar a ser seu exemplo, pois Maria Madalena, era como elas, uma grande pecadora, mas foi também a curada pelo amor de Jesus e foi uma grande amante, ao lado de Cristo e como tal, foi ao mesmo tempo a primeira enviada para a jovem Igreja, como Apóstola dos Apóstolos.

Reuniu ambos os ideais, o vivido centrado na contemplação, na oração e penitência reparadora, com o novo, o apostólico da Ordem Dominicana, cujo objetivo é: Salvar Almas.

Em 1263 As irmãs assumiram com entusiasmo, a ousada e vasta visão, considerando as necessidades do tempo, a Espiritualidade Dominicana: O pensamento numa intensa doação à Igreja,de um zelo incansável pelas almas e uma sincera procura da verdade, nas discussões com as correntes espirituais do tempo. Tudo isto procuraram,embora segundo o espaço limitado de uma mulher da Idade Média, não por mostrar-se na publicidade, mas pela abertura das fontes de forças, de qualquer apostolado na oração e meditação, das verdades da fé.

As irmãs estavam conscientes de que o novo ideal do apostolado, não significava apenas atividades, mas que o mesmo extrai a sua fertilidade da graça.A graça só pode ser implorada humildemente de Deus.

Assim o centro do apostolado é,em primeira linha, o centro de oração, do qual, dia por dia,emana a força transformadora do mundo, da Igreja e das pessoas em particular.

O fundador de nossa ordem,São Domingos, foi mesmo totalmente penetrado da verdade dessas relações. Ele fez da oração incessante e da contemplação das verdades da fé, não apenas condição de seu próprio apostolado, mas as queria como fundamento do apostolado de toda sua Ordem.

Pensando nisto, então a nova comunidade dominicana de Sta. Madalena em Speyer, achou-se no centro da grande incumbência de sua Ordem, do apostolado nas pessoas de seu tempo.

As irmãs abriram a partir de 1304, a clausura rigorosa, prescrita: No setor da educação e formação. Assim, cidadãos de Speyer, deram para esta finalidade suas filhas para o claustro. As próprias irmãs cultivavam o saber e a formação, numa medida correspondente, tendo contato com as correntes culturais de seu tempo.

O século 19 e 20

O século 19, na historia do claustro,tornou-se um tempo dinâmico,marcado pelo desdobramento das atividades escolares e educativas e do crescimento abençoado da comunidade claustral. Nesse tempo surgiram escolas típicas para moças. Em 1829 uma escola pública,em 1839 uma escola superior para moças, em1884 uma escola para formação de professores do Palatinato e outras escolas.

No inicio do século 20,as atividades escolares alargaram-se para além de Santa Madalena e de Speyer. Também em outras cidades foram fundadas escolas. Este desenvolvimento positivo foi naturalmente sempre acompanhado com grandes dificuldades.

O governo nacional-socialista no século 20.Causou um grande perigo ao desenvolvimento florescente em Sta. Madalena, um fim repentino. Em 1937/38 todas as escolas de nossa comunidade, em ou fora de Speyer, foram fechadas.As Irmãs foram retiradas das escolas. Estávamos perante o nada. Como vai continuar?

O que foi planejado como aniquilação, tornou-se germe de um futuro alvissareiro:chama-se América do Sul.

Os bispos do Brasil e Peru pediram então às irmãs de Sta. Madalena, para apoiar o seu trabalho missionário nesses países. Assim, entre 1937 e 1939, emigraram 31 professoras jovens.

Enquanto em Peru e Brasil foram fundadas novas escolas e novas casas de missão, o desenvolvimento da Europa correu para uma catástrofe. As casas de nossa comunidade foram confiscadas, obrigatoriamente desapropriadas ou destruídas pelas bombas na guerra.

Somente, após o desmoronamento do 3° Reino, abriu-se novamente uma perspectiva para as irmãs na Alemanha. Já em outubro 1945 podiam, em Sta. Madalena, em condição muito pobre, reabrir a escola pública e uma superior para moças, com internato. O número de alunas cresceu de ano em ano e foi necessário construir. Assim surgiu em 1957 a Edith-Stein-Escola com Ginásio e Real-Escola,compreendendo no presente cerca de 1.100 alunas no conjunto.

Centro da Congregação

O mais importante da Congregação: É a veneração da Sagrada Eucaristia, da qual as irmãs,durante séculos, hauriram sempre de novo, a força para prosseguir,também nas horas mais tenebrosas para nossa comunidade.

A veneração da sagrada Eucaristia na Sta. Madalena e na adoração, é, certamente, o mais marcante e maior característica para nossa comunidade.

Em 1934 na ascensão dos nacional-socialistas na Alemanha, a priora geral madre Ambrosia Hessler, pediu ao bispo de Speyer a licença, de fazer adoração com o Santíssimo exposto, diariamente de manhã após a Sta. Missa, até após as vésperas. Acreditamos que desta Adoração, vem muitas bênçãos para nós, e que ela sustenta as nossas atividades apostólicas.

CONVENTO SANTO ALBERTO MAGNO

END.: Estrada do Calafate, 2738

CEP: 69905-800 – Rio Branco – Acre

TEL.: (68) 3225-0570