FECHAR
 
Rádio Web Providência    POPUP
 
Ordem dos Agostinianos Recoletos

Ordem dos Agostinianos RecoletosOs Agostinianos Recoletos são uma Ordem religiosa formada por cerca de 1.200 religiosos que, vivendo a vida fraterna em comunidade, querem seguir a Cristo casto, pobre e obediente; buscar a verdade e estar a serviço da Igreja; esforçam-se para crescer na caridade segundo o carisma de santo Agostinho e a intensidade própria da Recoleção, movimento de interioridade e radicalidade evangélica.

Origens

A Ordem surgiu no século XVI, quando alguns religiosos agostinianos, sob o impulso do Espírito Santo, com um especial carisma coletivo, desejaram viver a sua vida consagrada, com renovado fervor e novas normas, a serviço da Igreja.

O Capítulo da Província de Castela, celebrado em Toledo, em 1588, determinou que, nalgumas casas, se vivesse este novo modo de vida.

A poucos anos de iniciar-se a Recoleção, em 1605, partiria a primeira expedição missionária para as Filipinas.

Os Agostinianos Recoletos são herdeiros da forma de vida suscitada por Santo Agostinho (354-430) e assumida no século XIII, com espírito mendicante, pela Ordem de Santo Agostinho (Grande União de 1256).

Depois de mais de três séculos de história, em 1912, foram reconhecidos pela Igreja como Ordem religiosa autônoma.

Carisma

O carisma agostiniano resume-se no amor incondicional a Deus, que une as almas e os corações em convivência comunitária de irmãos, e que se difunde para todos os homens para uni-los em Cristo, dentro da sua Igreja.

A vivência do próprio carisma lhes transmite a vitalidade que procede do Espírito Santo, renova-os constantemente e os impulsiona em direção a uma formação permanente, para estarem disponíveis ao serviço da Igreja.

Patrimônio espiritual da Ordem são a vida, a doutrina e a Regra de Santo Agostinho, a “Forma de viver” dos alvores da Recoleção e o testemunho de santidade de tantos irmãos que, fiéis ao Espírito, deram vida à sua história.

As Constituições são a expressão do carisma da Ordem e propõem a maneira peculiar de seguir a Jesus, respondendo à vocação de Agostinianos Recoletos. Nelas se integram os três aspectos constitutivos do carisma: o amor contemplativo, o amor ordenado comunitário e o amor difusivo apostólico.

A Ordem compõe-se de religiosos sacerdotes e religiosos irmãos; todos eles vivem a sua vocação, partilham a vida fraterna na comunidade e têm uma missão a realizar.

A comunidade apostólica é seu primeiro apostolado e é a própria comunidade. O agostiniano recoleto, vivendo o próprio carisma, e em comunhão com a Igreja local, evangeliza e exerce seu ministério apostólico.

Os Agostinianos Recoletos exercem seu apostolado em 209 paróquias, 53 centros educativos e oito territórios de missão. A Ordem está estruturada juridicamente em oito províncias: São Nicolau de Tolentino, Nossa Senhora da Candelária, Santo Tomás de Vilanova, Santo Agostinho, São José, Santa Rita, Nossa Senhora da Consolação e Santo Ezequiel Moreno.

Contemplação, vida em comum, ação e missão

A contemplação é um elemento primordial do patrimônio de Santo Agostinho e da Ordem. O agostiniano recoleto busca o Deus revelado na história da salvação. A contemplação tem força de união e é comunitária.

A vida de comunidade é contemplativa e ativa, de modo que os dois aspectos se integram harmonicamente e se complementam, pois a contemplação e a ação são, na Igreja, manifestações do mesmo amor.

Contemplação

Contemplação é um sinônimo de vida para Deus, vida com Deus, vida em Deus e vida de Deus mesmo.

O agostiniano recoleto busca o Deus revelado na história da salvação. A singularidade da vocação do agostiniano recoleto é o contínuo diálogo com Cristo. Seu cuidado principal é acolher tudo o que à sua volta lhe possa inflamar em seu amor.

Vida em comum

A contemplação tem força no comum e no comunitário. Pelo amor fraterno, o Espírito Santo introduz a comunidade no conhecimento e na verdade de Cristo, que se desdobra até a contemplação do Pai.

A comunidade não é uma construção humana; é, ao contrário e, sobretudo, um dom do Espírito Santo; nela se realiza a construção paciente da vida fraterna com o diálogo da caridade entre irmãos de diversas idades, origens e culturas.

A vida fraterna, entendida como vida compartilhada no amor, é um sinal eloquente da comunhão eclesial. A comunidade, segundo o propósito de Santo Agostinho, deseja imitar a primitiva comunidade de Jerusalém, onde os irmãos vivem entre si unânimes e desejam ter uma só alma e um só coração, dirigidos para Deus.

Ação

O amor contemplativo, além de unir as almas e os corações em comunidade é, em si mesmo, difuso e apostólico. O religioso agostiniano recoleto é chamado a levar dentro de si o amor, cuja essência é dar-se e comunicar-se; quanto mais partícipe do conhecimento do amor de Deus, com mais força tende a difundir esse conhecimento e esse amor. A vida da comunidade é contemplativa e ativa, de modo que os dois aspectos integram-se harmonicamente e se complementam, pois a contemplação e a ação são, na Igreja, manifestações do mesmo amor.

Missão

A missão dos Agostinianos Recoletos não está reduzida a uma atividade concreta, mas deve caracterizar-se por sua disponibilidade em responder às necessidades da Igreja.

A dimensão apostólica da Ordem se destaca, desde sua origem, por sua atividade missionária. A Ordem, missionária por tradição e direito de herança, difunde a caridade, evangelizando os povos que, todavia, não creem em Cristo, ou ajudando aquelas igrejas que têm especial necessidade humana e espiritual.